Atualizaremos aqui as últimas publicações da Embrapa relacionadas a cadeia produtiva do leite.

9847221070?profile=original9847221099?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847221652?profile=original9847221282?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847221299?profile=original9847222082?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847222099?profile=original9847221700?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847222664?profile=original9847222684?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847223455?profile=original9847223271?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847223473?profile=original9847223500?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847223667?profile=original9847223681?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847223699?profile=original9847224077?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847224092?profile=original9847224665?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847224274?profile=original9847224288?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847224853?profile=original9847224884?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847225054?profile=original9847225274?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847224495?profile=original9847225090?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847225298?profile=original9847225470?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847225486?profile=original9847226057?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847226079?profile=original9847225681?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847225898?profile=original9847226875?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847226489?profile=original9847227257?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847226673?profile=original9847226698?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847227077?profile=original9847227098?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847227294?profile=original9847227880?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847228082?profile=original9847227667?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847228491?profile=original9847228285?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847228672?profile=original9847228691?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847229252?profile=original9847229086?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847229459?profile=original9847228870?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847229471?profile=original9847229287?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847229856?profile=original9847229691?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847230258?profile=original9847230078?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847229876?profile=original9847229890?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847229471?profile=original9847230091?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847230452?profile=original9847230301?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847229901?profile=original9847230666?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847230673?profile=original9847230470?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847230688?profile=original9847230495?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847231058?profile=original9847231252?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847231461?profile=original9847231267?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847232663?profile=original9847232858?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847230688?profile=original9847230495?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847231284?profile=original9847233061?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847233074?profile=original9847232697?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847233257?profile=original9847233684?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847233478?profile=original9847233300?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847233490?profile=original9847234054?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847234068?profile=original9847236086?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847235898?profile=original9847236454?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847236468?profile=original 9847236264?profile=original

 

 

 

 

 

 


9847236669?profile=original9847236853?profile=original

 

 

 

 

 

 


Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Rede de Pesquisa e Inovação em Leite.

Participe da Rede de Pesquisa e Inovação em Leite

Comentários

  • Olá Celso Oliveira, vou abordar a questão da estabilização ou seja do curtimento do esterco. Tradicionalmente poderemos utilizar o esterco curtido de bovinos nas diversas culturas, como vc pergunta, inclusive nos pés de milho. Para curtir o esterco ele deve ser armazenado ao ar livre e passar pelo processo de estabilização pela compostagem, que é com a presença de ar. O processo de curtimento varia conforme a umidade do esterco e da quantidade de matéria orgânica presente no esterco. Mas um tempo de curtimento de segurança é de mais de 15 dias. E se voce revolver o monte de esterco facilita a a estabilização do esterco.

    O esterco estabilizado pode ser utilizado sem risco como um biofertilizante que propicia nitrogênio, fósforo e potássio, além de alguma materia orgânica e outros nutrientes para as plantas.

    Não se deve aplicar próximo do caule, deve-se manter uma distância quando aplicado no solo, ainda deve-se propiciar que o esterco seja incorporado no solo para evitar perdas de nutrientes. 

  • Bom dia! Amigos.

    Gostaria de saber, se posso usar esterco bovino direto nos pés de milho? Se puder a partir de qual o momento posso fazer isto?

    Obrigado, Celso.

  • Boa tarde!

    Construímos um tanque para armazenar dejetos dos bovinos vindos da área de ordenha. Agora estamos querendo transformar este em Biodigestor no modelo Chines. Tem alguma literatura da Embrapa, algum trabalho desenvolvido neste sentido que possa nos ajudar?

    Obrigado, Celso.

  • Prezado Marco Antonio,

    Encaminhamos sua dúvida para o nosso SAC, e veja a resposta que fizeram para você:

    Sobre o assunto de toxinas em silagem, temos a seguinte publicação:

    https://www.embrapa.br/gado-de-leite/busca-de-publicacoes/-/publica...

    Se desejar mais informações sobre esse assunto, sugerimos consultar o Dr. Duarte Vilela, pelo telefone (32) 3311-7516, Juiz de Fora - MG.

    Obs.: a melhor maneira de minimizar o problema é ter cuidados na ensilagem, como cortar o material com o teor de matéria seca adequado (30 a 35% MS), compactar bem e fechar o silo adequadamente, colocando pesos e/ou terra sobre a lona, de modo a evitar o acúmulo de ar na parte superior do silo. Também, o uso de silo tipo trincheira, em alvenaria, minimiza muito o risco desse tipo de problema.

  • Prezados colegas, gostaria de informações sobre micotoxinas nas silagens, rações e efeitos negativos na produção de leite. Por hora me resta elogiar a excelente qualidade e relevância dos trabalhos acima , parabéns a todos e muito obrigado.

  • Prezado André, veja se as publicações que quer são as que estão no link abaixo:

    http://www.repileite.com.br/profiles/blogs/download-cartilhas-com-l...

    Agradecemos sua participação!

  • Prezados(as), não estou mais encontrando aqui no site os seguintes Documentos:

    1 - Doc. Téc. Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para alimentação animal;

    2 - Doc. Manual de manutenção da qualidade do leite cru refrigerado armazenado em tanques coletivos para produtores, técnicos, transportadores e coletores de amostras de leite.

    Alguém poderia me disponibilizar via email estes documentos acima?

    Segue email: andresilva@macae.rj.gov.br

    No aguardo,

    André Luiz

This reply was deleted.